[Guia] Como fazer uma proposta


#1

Para a tomada coletiva de decisões dentro da associação, concluímos que é necessário um processo mais célere do que as Assembleias Gerais. Assim, propõe-se adotar um sistema de proposta e discussão baseado no nosso fórum.

Uma proposta funciona como uma moção, e compreende vários passos:

  1. Através de um post no fórum (na categoria Propostas), é descrita uma ação a tomar ou um princípio a adotar, junto com uma argumentação que esclareça o contexto da proposta e permita a todas e todos compreender o problema e a solução proposta.
  2. Os outros sócios poderão de seguida colocar dúvidas, pedir esclarecimentos, manifestar o seu apoio ou a sua discordância (necessariamente sustentada).
  3. Após um período de 3 semanas, fecha-se a discussão e competirá a direção da D3 discutir a proposta na sua próxima reunião.
  4. Nessa reunião deverão ser medidos os argumentos apresentados durante a discussão, e caberá à direção determinar se a proposta será adoptada ou não, fundamentando a sua decisão final na acta da reunião.

Sempre que uma medida aprovada deva constar de Regulamento Interno, a direcção encarregar-se-à de propor, em Assembleia Geral, a integração dessa medida no Regulamento Interno.

Regras para as propostas

  1. O sub-fórum das propostas é acessível e visível por qualquer pessoa, registada ou não.
  2. Apenas os sócios podem criar novas propostas e comentar em propostas existentes.
  3. A partir da data de afixação da proposta no fórum, esse fio estará aberto para discussão durante as 3 semanas (21 dias) seguintes.
  4. Após esse período, o fio será fechado (locked) e não aceitará mais contributos.
  5. Na reunião seguinte da direção, a proposta e os argumentos apresentados serão discutidos, e uma decisão será tomada quanto à sua adoção ou rejeição. Caso não seja possível abordar a proposta durante essa reunião (por falta de tempo ou por complexidade da discussão), tal passará para a ordem de trabalhos da seguinte.
  6. Sendo aprovada pela direcção, a proposta será reformulada pela direcção para ser incluída no regulamento interno e/ou começar-se-à o processo de implementação dessa proposta, recorrendo-se para tal ao fórum e outros meios de comunicação da D3.

Formato das propostas

Qualquer sócio pode fazer uma proposta criando um fio de discussão na categoria Propostas. O mais importante é ser conciso: quanto mais breve, melhor.

No caso de uma proposta de carácter prático ou técnico (ex. implementar a plataforma X), importa dar resposta a estas questões:

  • Qual o problema que se procura endereçar?
  • Qual é a solução proposta?
  • Que esforços implica?
  • Quais são os custos associados?

Em propostas de carácter político ou de tomadas de posição (ex. devemos assumir a posição Y no assunto Z), a preocupação deverá ser esclarecer estes pontos:

  • Qual é o contexto desta proposta? (links são fundamentais para informar quem não está por dentro, mas por favor evita obrigar-nos a ler demasiado texto)
  • Porquê a solução proposta?
  • Quais são as implicações de adotarmos esta proposta?

Um exemplo de proposta minimal:

Problema: A mailing list não é o melhor meio de comunicação por causa de x, y e z.

Proposta: Existe esta boa plataforma de fóruns que podemos usar. Eu posso tratar da instalação e manutenção, mas são também precisas 3 pessoas para ajudar a moderar o fórum.

Formato da discussão

Qualquer sócio pode intervir na discussão com questões ou argumentos, no formato que entender. Apelamos ao teu sentido de concisão e, sobretudo, à civilidade coletiva.

No caso de se querer expressar concordância com a proposta ou com um argumento expresso na discussão sem querer acrescentar mais, pedimos para evitar os posts de uma linha (“Concordo!”) – nestes casos, a melhor forma de expressar apoio é fazer :heart: ao post com que concordamos – a direcção terá em conta o apoio expresso a cada argumento, por isso não hesites em “gostar” de todas as propostas e argumentos que vejas.

Será quase desnecessário salvaguardar que qualquer post provocatório, ofensivo ou com um tom desrespeitoso será removido. Seremos igualmente intolerantes com flame wars, que apenas servem o ego dos intervenientes e desgastam a moral dos espectadores. A discrição da equipa de moderação do fórum prevalecerá em quaisquer casos ambíguos.

Como fazer uma proposta consequente
Sê pró-activo/a!

Numa proposta prática ou técnica, tenta ajudar a encontrar uma solução. Considera estas três formas de fazer a mesma proposta:

Razoável: Proponho instalarmos esta boa plataforma de fóruns para a D3.

Melhor: Existe esta boa plataforma de fóruns que podemos usar. Eu posso tratar da instalação e manutenção técnica, mas são também precisas pelo menos 2 pessoas para moderar a discussão.

Ainda melhor: Existe esta boa plataforma de fóruns que podemos usar. Eu posso tratar da instalação e manutenção técnica, mas são também precisas pelo menos 2 pessoas para moderar a discussão. Podem já experimentar esta plataforma neste link, montei uma versão para experimentarem!

A primeira não se propõe a resolver grande coisa, já que o problema não está na decisão de qual a plataforma, mas sim no trabalho de a implementar e manter durante algum tempo. A segunda trata de dar uma real solução. E a terceira demonstra uma real vontade em resolver o problema ao facilitar o trabalho de avaliar se a plataforma servirá ou não.

Considera incluir um FAQ

Procura antecipar as questões que vão surgir, expondo-as e dando as respostas que entendas. A ideia das propostas é não só propôr soluções para problemas, mas também ajudar as pessoas a refletir sobre a solução que propões e, idealmente, a concordar contigo! Ao antecipares as perguntas que possam aparecer, a discussão será bem mais simples e a tua proposta beneficiará dela.

Perguntas sobre o modelo das propostas

[details=Summary]Porque é que as propostas são públicas? Porque é que só os sócios podem propor e participar?
É importante mostrarmos os temas que debatemos para as pessoas que têm curiosidade sobre o que pensamos e fazemos poderem perceber do que se trata a D3. Também é uma boa forma de não nos tornarmos um clube privado de debate, e ajudar também a moderar o tom da discussão, sabendo que ela será pública. Por outro lado, precisamos de assegurar que as direções da D3 são definidas pelos sócios e sócias, e como tal é apenas a eles e elas que cabe a participação e criação de novas propostas.

Porquê fechar os tópicos depois da discussão?
Já antevemos que será complicado gerir o conjunto de propostas que irão surgir, e precisamos de uma forma de seguir o fio à meada. Deixar as propostas abertas para diálogos prolongados no tempo não é uma boa forma de manter o fio dos debates que vamos tendo. A ideia das propostas não é servirem de fórum mais aberto de discussão sobre temas gerais, mas sim casos concretos em que é necessário implementar uma medida ou uma posição. Caso sintas que é necessário, abre um fio de discussão no fórum apropriado para continuar lá a conversa – idealmente incluindo o link para a proposta. Podes também notificar os moderadores para o link da nova discussão ser incluído na proposta fechada.

3 semanas é muito pouco tempo para discutir
É necessário definirmos um tempo limite senão corremos o risco real de cair na indefinição de nunca tomarmos decisões e reciclarmos discussões. Há temas complicados que não podem ser destrinçados em 3 semanas, mas encontraremos muitas ocasiões que necessitarão de urgência na discussão e tomada de decisão. As posições poderão ser revistas através de novas propostas. Sugerimos que atives as notificações por mail da categoria Propostas se quiseres seguir a sua progressão de perto.

Tenho uma proposta que por determinadas razões não devia ser de discussão pública – como faço?
Utiliza antes a secção de acesso reservado aos sócios. Esta opção deve ser excepcional. [/details]


#2