Encontro público D3 sobre filtros de censura


#1

Olá,

Amanhã (segunda-feira), a partir das 18h, em Lisboa, haverá em encontro (perdão, agora diz-se “meeting” :smiley: ) da D3 aberto a qualquer pessoa que esteja interessada no tema da reforma europeia do direito de autor.

Será uma reunião muito informal para discutir o assunto e que passos podem ser tomados nas próximas semanas / meses.

Apareçam!

Apple House (sem patrocínio da maçã mordida, é um nome de um café/bar)
Av. Elias Garcia 19B, 1000-147 Lisboa
(perto do Campo Pequeno)


#2

Porque não vale a pena estar a deslocar-me até Lisboa só para transmitir esta informação, porque também o melhor modo de a transmitir é através de texto electrónico com hiperligações e porque, de qualquer modo, é este um assunto que tem de ser “estudado” em casa, durante um bom tempo, para que se consiga compreendê-lo na sua plenitude… Aqui vai este breve aviso, que gostaria de vos fazer.

A aprovação das regras (modificadas, como é hábito - para criar a ridícula sensação de que, ao não aprovar todo o pacote inicial até se está a “ganhar” alguma coisa) de controlo da informação na Internet é algo que, em nada, me surpreende - e garanto-vos (enquanto pessoa bem informada sobre o que se passa nos bastidores da Política) que é apenas o início de um processo de transformação da Internet que temos numa outra rede mesmo muito controlada.

  1. A Internet, em si, nasceu como um projecto de vigilância (e controlo) por parte do poder estabelecido: https://blackfernando.blogs.sapo.pt/a-internet-e-um-instrumento-de-147001 + https://cld.pt/dl/download/3d6f474c-a7dd-4f82-a4af-1290c9ed1a77/levine.mp4 (E, como tal, deve ser usada apenas para o que seja mesmo necessário e para o qual seja muito melhor do que outros meios - como a partilha de informação - e evitada nos restantes casos - pois, tudo o que se passa “em linha” está a ser vigiado e gravado: https://trisquel.info/en/forum/sentient-code-inside-look-stephen-wolframs-utterly-new-insanely-ambitious-computational-paradi#comment-46043)

  2. As pessoas que estão a passar este tipo de leis de vigilância estão à frente de um projecto (União Europeia) cuja origem é parcialmente nazi: https://blackfernando.blogs.sapo.pt/a-uniao-europeia-e-em-boa-parte-a-131523 (E, por isso, se é Liberdade que querem - nomeadamente, a de cada país e cultura fazerem as coisas à sua maneira, sem ter de obedecer a um poder central e longínquo, que ninguém conhece - talvez queiram repensar a permanência no superestado em que actualmente vivem.)

  3. A história dos “leaks” e dos hackers que soltam informação na Internet (WikiLeaks e afins) faz parte de um esquema montado pelo próprio poder estabelecido, que visa criar a ideia de que a Internet é um meio inseguro, onde pode ser violada a privacidade das pessoas - e que, como tal, têm de ser passadas leis que visam controlar o fluxo de informação na mesma (https://www.elperiodico.com/es/internacional/20110621/daniel-estulin-la-cia-monto-wikileaks-para-cerrar-el-acceso-libre-a-internet-1050958 + http://www.trineday.com/paypal_store/product_pages/9781937584115-Deconstructing_Wikileaks/index.html).

  4. O acesso à Cultura e ao Conhecimento sempre foi um dos principais inimigos de quem quer controlar os outros. Razão pela qual na Alemanha nazi se queimavam livros e, por exemplo, no Brasil era proibido aos escravos aprenderem a ler e a escrever. (https://blackfernando.blogs.sapo.pt/fahrenheit-451-142695 + https://freedomcenter.org/content/anti-slavery-press)

  5. Tendo a criação da Internet, em grande parte, sido contraproducente, no que toca ao muito bom uso que fazem alguns da mesma, para difundir informação contrária aos interesses do poder estabelecido - e sendo o actual poder estabelecido um que é tudo menos bem intencionado (https://www.prisonplanet.com/financial-times-editorial-admits-agenda-for-dictatorial-world-government.html) - torna-se imperativo começar a controlar esta mesma Internet, para que não saibam as pessoas de assuntos que este poder estabelecido não quer que tenham as pessoas conhecimento de (ex: https://noticias.up.pt/u-porto-junta-especialistas-mundiais-para-falar-de-alteracoes-climaticas/#comment-4080943900 + https://raquelcardeiravarela.wordpress.com/2017/02/15/aquecimento-global-os-97-sao-menos-de-50/#comment-7546).

E, isto tudo, para dizer…

Não esperem outra coisa, daqui para a frente, que não seja um controlo cada vez maior da Internet e os vossos “representantes” a tirarem-vos cada vez mais liberdades. E, quando se tornar bem claro que as pessoas que vocês elegem não servem, de modo algum, os vossos interesses, talvez queiram repensar o modo de funcionamento de todo este sistema político em que vivem - assim como (a eficácia de) as formas de luta que adoptam.


#3

Comentário que acabei de deixar a uma colocação - https://paulasimoesblog.wordpress.com/2018/09/18/eurodeputada-mjrodrigueseu-do-psocialista-entrou-no-processo-que-tem-mais-de-dois-anos-nos-ultimos-dias-e-deu-orientacao-de-voto-saveyourinternet/ - da blogueira Paula Simões, que deduzo que tenha ligações à vossa organização:

  1. (Artigo 11º – Taxa dos Links) “Hoje, os cidadãos podem partilhar excertos e links para notícias de jornalismo profissional”

Mas, amanhã já não o poderão fazer, sem ser também com taxas – que não terão dinheiro para pagar – que terão estes mesmos cidadãos comuns de partilhar as hiperligações que querem. (E, o que irá acontecer a blogueiras, como você?)

A maneira como as leis que restringem as nossas liberdades são aprovadas, é sempre de modo gradual. Isto é, em vez de aprovarem os políticos logo tudo o que querem de uma vez, num único pacote, vão aprovando um pacote agora, amanhã um outro etc, para tornar o processo de transição mais “leve” e menos abrupto, de modo a que as pessoas se apercebam pouco disto e não se insurjam contra tais restrições (https://en.wikipedia.org/wiki/Boiling_frog).

Por isso, prepare-se já para reportar sobre novos “melhoramentos” nestas leis, no futuro não distante.

  1. “Fake news”

Quem decide o que são “notícias falsas”? Os outros, sem apresentar provas de tal – restando a nós acreditar na palavra de desconhecidos, que elaboram tais classificações e apresentam tais supostos estudos?

O que são “notícias falsas” para uns, já não são para outros. Pois, eu que confio muito mais na imprensa alternativa (não controlada pelos grandes interesses económicos) sei o quão credível alguma desta é, por (ao contrário dos média convencionais) apresentar esta provas do que diz (tal como está você a fazer nesta colocação, por exemplo) e sei o quão mentem depois os média convencionais sobre esta mesma imprensa alternativa. E, eu próprio já tenho repetidamente apanhado os média convencionais, como a CNN, a mentir sobre outros assuntos ainda mais importantes (https://blackfernando.blogs.sapo.pt/nao-houve-qualquer-ataque-quimico-na-137322 + https://blackfernando.blogs.sapo.pt/cnn-apanhada-outra-vez-a-encenar-uma-109496 + https://blackfernando.blogs.sapo.pt/editor-de-muito-conhecido-jornal-alemao-95912 + https://blackfernando.blogs.sapo.pt/cnn-oficialmente-condenada-em-tribunal-96386).

  1. “A deputada Maria João Rodrigues (…) quer [isto ou aquilo]”

A deputada e os deputados em causa não “querem” nada. Quem realmente quer alguma coisa – sabe toda a gente bem informada sobre os bastidores políticos – são os grandes interesses económicos dos quais estes políticos recebem ordens: https://fotos.web.sapo.io/i/o41140ea4/17596647_i1zW0.jpeg

(E, não estamos a falar de meros “lóbis” – mas antes de hierarquias muito bem definidas – como até as de sociedades secretas, como a Maçonaria – https://www.youtube.com/watch?v=Q7q4rJC2HvU – i.e. aos actuais políticos cabe-lhes fazer o que é ditado pelos grandes interesses económicos, seus superiores hierárquicos, senão…)

E, o que obviamente estes grandes interesses económicos querem, é restringir cada vez mais o acesso à Cultura e à Informação, por ser este um enorme empecilho ao controlo (que se quer também cada vez maior) das pessoas: https://blackfernando.blogs.sapo.pt/o-acesso-a-cultura-e-ao-conhecimento-147909

  1. “E lembrem-se os políticos não são todos iguais”

Não são todos, mas são quase todos. E, muitos (a maior parte) dos que se apresentam como alternativos, fazem parte do que se chama “oposição controlada”. Isto é, são falsos líderes que montam armadilhas para apanhar e controlar os insatisfeitos: https://blackfernando.blogs.sapo.pt/uma-muito-boa-explicacao-do-que-e-138523 (Leiam, por exemplo, a conhecida obra Mil Novecentos e Oitenta e Quatro.)

Relativamente ao político Francisco Assis, se não forem as próprias pessoas a se aperceberem (facilmente) disto, então nem vale a pena explicá-lo. Mas, sobre os deputados do Bloco de Esquerda e seus partidos-satélite (como o Livre e outros movimentos) se querem saber qual é a sua verdadeira natureza, informem-se sobre quem foi o Trotsky e sobre porque razão o Estaline acabou por mandar matá-lo: https://blackfernando.blogs.sapo.pt/este-livro-e-que-devia-ser-e-muito-148199 + https://blackfernando.blogs.sapo.pt/como-o-ditador-estaline-descarrilou-os-147252

O único partido com assento parlamentar em Portugal que não está claramente sob o controlo dos grandes interesses económicos é o PCP. Mas, de um partido que diz que a Coreia do Norte é uma “democracia”, também não é de esperar grande coisa, em termos de defesa das liberdades.

Por isso, se é através de partidos que acham que se deve governar uma sociedade, a não ser que queiram avançar com novos…

  1. Finalizando,

Vejam o filme que anda a ser passado na TV por cabo, Fahrenheit 451 (https://www.youtube.com/watch?v=IF4I6O1R1mU) para saberem de parte (actualizada, neste novo filme) do futuro que está planeado para nós.

Estas obras, nas quais se inclui a referida 1984, a novela Admirável Mundo Novo etc, não são retratos de futuros meramente hipotéticos – mas, antes obras que são escritas para “mentalizar” as pessoas para o que aí vem – https://www.wook.pt/livro/o-instituto-tavistock-daniel-estulin/14530212 – a não ser que consigamos nós impedir tal de se tornar uma realidade.


#4

Deixo uma indicação do que eu digo, na seguinte citação, tirada de um livro escrito por um lacaio-mor destas elites (ou grandes interesses económicos) de que falo:

The technetronic era involves the gradual appearance of a more controlled society. Such a society would be dominated by an elite, unrestrained by traditional values. Soon it will be possible to assert almost continuous surveillance over every citizen and maintain up-to-date complete files containing even the most personal information about the citizen. These files will be subject to instantaneous retrieval by the authorities.”
— Zbigniew Brzezinski, in Between Two Ages: America’s Role in the Technetronic Era

(Quem, como eu, esteja atento à passagem de leis restritivas dos direitos e das liberdades, já lá vão 15 anos, sabe que isto é bem verdade. Mas, se duvidam de que assim é, estejam atentos e vejam tal acontecer. Isto é só o princípio do Fim da Internet, tal como a conhecemos: https://blackfernando.blogs.sapo.pt/leiam-leiam-enquanto-podem-8590)